A Sessão de Cartas OH do Rúben

O Rúben é um menino de 11 anos, que gosta de brincar às escondidas e marcar uns golos na hora do recreio.


Quando entrou na nossa sala, estava um pouco nervoso, tinha pedido ajuda à mãe, que queria fazer uma terapia, mas não sabia bem ao que vinha (respondeu ele).


Fizemos uma breve anamnese e o menino contou que tem muito medo a aranhas. Tem medo delas no quarto, na sala e, quando está a tomar banho, fica com pavor e anda muito triste porque fica nervoso e muito envergonhado.


Começou por desenhar o sentimento do “medo das aranhas”: então, desenhou um monstrinho, que lhe chamou tarantutácula (tarantula + drácula), várias aranhas e um menino cheio de medo a pedir socorro!

De seguida, começámos a fazer o nosso jogo terapêutico, com as cartas associativas OH. Ao seu ritmo, foi tirando imagens e palavras, sempre que ele quisesse, e foi falando sobre o que sentia ao ver aquelas imagens, aquelas cores e o que elas lhe transmitiam:


Sinto-me sem alegria cada vez que me envergonho perante ao meus amigos na escola. Eles riem-se de mim, porque caio no recreio, ou porque não acertei na baliza, isso deixa-me triste e envergonhado. Mas eu gosto de ir para a escola, onde eu quero ser bom aluno e para isso sei que tenho de estudar mais História.

Há um jogo que gosto de fazer, que é fazer gestos para que os meus amigos adivinhem e é isso que vou fazer com o sentimento da vergonha, quero que eles descubram como me sinto quando se riem de mim.

O medo das aranhas surgiu num dia em que, indo eu a passear pela natureza e sem saber como, entrei para um portal, um portal de aranhas e nunca mais consegui sair de lá. Tenho sentimentos muito profundos que ninguém vê, mas que estão em mim, quero pedir ajuda e a minha mãe é muito sábia, com o amor dela eu vim até aqui e eu vou conseguir!”


No final da sessão, ele fez outro desenho e, desta vez, desenhou uma solução para este medo das aranhas, no qual o portal já não era preto, tinha cor, onde o vermelho para ele era o amor, alegria e felicidade que ia conseguir através da mãe e da união do amor dos dois.


Hoje, o menino está bem e feliz!


Se sentes que esta terapia também pode ajudar o teu filho, ou qualquer outra criança, contacta-nos em www.retirate1dia.com/cartas-oh, estamos aqui para te ajudar.

Gratidão e até breve,

Rafael e Jessi